Visualizar conteúdo web

Arranca no país emissão da televisão digital

Maputo, 10.12.2015 Moçambique iniciou, no passado dia oito, com as emissões de televisão digital, com o lançamento em Maputo, na sede do Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique (INCM), pelo Ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, do projecto-piloto de Televisão Digital Terrestre (TDT). Estiveram presentes, dentre vários convidados, altas individualidades do Governo, dos operadores de radiodifusão e prestadores dos serviços públicos e privados de telecomunicações.

Simbolicamente foi inaugurado o primeiro emissor de um total de 18 que compõem o projecto-piloto da Televisão Digital Terrestre (TDT), no âmbito da migração da radiodifusão analógica para a digital. Ainda este mês será concluída a instalação de emissores digitais na Beira e Nampula, principais centros urbanos do país.  Conta-se completar este projecto-piloto no primeiro trimestre do próximo ano, com a instalação de emissores nas cidades de Xai-Xai, Inhambane, Chimoio, Tete, Quelimane, Pemba e Lichinga, bem como em oito vilas fronteiriças, nomeadamente, Ponta de Ouro, Namaacha, Ressano Garcia, Vila Manica, Ulóngue, Zóbue, Milange e Mandimba.

A instalação de emissores digitais nestas vilas fronteiriças visa garantir que a nossa população continue a receber o sinal de televisão sem riscos de interferências de países vizinhos com os respectivos processos de migração digital mais adiantados.

A migração da radiodifusão analógica para a digital é um processo complexo, com implicações sociais e económicas que ultrapassam, de longe, a pura migração técnica.

Segundo Carlos Mesquita, falando no acto que marcou o arranque oficial da nova era de televisão, este processo tem vindo a ser conduzido de forma a não se configurar como uma mera mudança de infra-estruturas de rede de transmissão, sem qualquer valor acrescentado para os cidadãos.

A rede de transmissão que inaugurámos "só terá significado para o cidadão se for acompanhada por sistemas de recepção de sinal de televisão que possibilitem o acesso em ambiente digital a programas e serviços oferecidos pelos diversos provedores de conteúdos. Só desta forma é que a nossa população vai usufruir das vantagens da Televisão Digital Terrestre", disse Carlos Mesquita.

O Governo está a trabalhar na criação de mecanismos que estimulem uma maior disponibilidade de conversores de sinal digital, os Set-Top-Boxes, por forma que a população tenha acesso aos programas a serem transmitidos através da rede digital nas zonas de cobertura.

A inauguração da rede piloto de TDT não significa o fim automático das transmissões analógicas. Com efeito, ontem iniciou também o período da dupla iluminação, durante o qual vão coexistir, nas zonas de cobertura da rede piloto, transmissões analógicas e digitais.

À luz do novo prazo acordado pelos países da região da SADC para a descontinuidade das transmissões analógicas, este período de dupla iluminação deverá terminar em 31 de Dezembro de 2016.

"O Governo tomará as providências necessárias para que este período de transmissão simultânea de emissões analógicas e digitais seja adequado ao seu objectivo que é o maior conhecimento pela nossa população do processo de transição e fecho do sistema analógico", indicou Mesquita.

No entanto, apesar do início do processo de migração que tem como principais desafios a conclusão da instalação da rede nacional de TDT, a posta é a actualização do quadro legal e regulatório para a sua acomodação e a divulgação do processo de migração digital no seio de todos os intervenientes e junto do consumidor final deste serviço, entre outros.

Fonte: GCI e Notícias (edição de 09.12.2015)

Flash