Visualizar conteúdo web

35.º Conselho Coordenador do MTC: reflectir sobre desempenho

Bilene, 23.08.2017 "Durante três dias, vamos poder reflectir profundamente sobre o nosso desempenho e de forma estratégica delinear o roteiro a seguir para alcançar os nobres objectivos plasmados no Programa Quinquenal do Governo 2015-2019 e no Plano Económico e Social 2017", declarou o Ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Alberto Fortes Mesquita, na abertura oficial do 35.º Conselho Coordenador (CC) do Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC), hoje, no Município de Bilene, Província de Gaza.
 
Recorde-se que participam neste encontro anual do MTC dirigentes e quadros da instituição, representantes das autoridades reguladoras, dentre elas a Autoridade Reguladora das Comunicações-INCM, dos institutos e empresas do sector, sindicatos, associações dos operadores e outros convidados de instituições públicas e privadas. A Presidente do Conselho de Administração, Ema Chicoco, e o Director-geral do INCM contam-se entre os membros do CC aqui presentes.
 
Por um sistema de Transportes, Comunicações e Meteorologia Seguro e Acessível, é assim que se designa o lema da edição deste ano do CC que, segundo a enunciação do próprio timoneiro do MTC, "tem a particularidade de ser o terceiro do Quinquénio 2015-2019". 
 
 
 
"Lembremo-nos que só nos restam praticamente quatro meses e, muito há ainda para ser feito com impacto directo nos indicadores macro -económicos e sociais estabelecidos, indicadores esses que a serem atingidos vão revelar impulsionadores para o crescimento económico e do PIB", sublinhou Mesquita. 
 
Ele acrescentou que o Plano Económico e Social do ano 2017 instrui para concentrar os esforços na implementação e conclusão da construção de infra-estruturas, com vista a responder às necessidades de desenvolvimento da indústria mineira, agrícola e turística.
 
Outras importantes actividades indicadas pelo Ministro referem-se à introdução de uma nova dinâmica no funcionamento das instituições, melhorando o relacionamento interinstitucional por forma a se recuperar a confiança e imagem do Sector, ao melhoramento do índice de mobilidade e aumento da capacidade dos transportes públicos urbanos e interurbanos de passageiros; à reabilitação da ponte ferroviária da Manhiça na Estrada Nacional n.º 1, à expansão da rede de telefonia móvel celular para as localidades e à conclusão do processo de migração da rádio difusão analógica para a digital, apenas para citar algumas.
 
Um dos aspectos apontados pelo Ministro relacionam-se com a mudança mentalidade de trabalho. Para a implementação das acções que nos propusemos a realizar neste Quinquénio, "não hesitaremos a nomeação de quadros com base em critérios justos e rigorosos de selecção com reconhecidos atributos de competência, profissionalismo, dinamismo, espírito de auto-estima e empreendedores, para assumirem a liderança das instituições e empresas do Sector, de quem almejamos boas práticas de gestão, privilégio de relações internas, inter-institucionais sãs e fundamentalmente orientados para resultados", declarou.
 
O Ministro dos Transportes e Comunicações disse, ainda, que no alinhamento dos programas de desenvolvimento "cabe-nos também a responsabilidade de atrair investimento, interno e estrangeiro para catapultar o desenvolvimento do tecido socioeconómico do país".
 

Flash